In 2014 textos antigo

Devaneios do acaso traçado.


​Aqui, bem quietinha, em meio a essa imensidão alaranjada vejo novamente o que outrora havia se apagado com a escuridão da angústia e da incerteza. Um dia ouvi dizer que somos reflexos daquilo que escolhemos. Más escolhas, trazem-nos infortúnios e boas escolhas e atitudes nos dão paz de espírito e nos deixam em harmonia com o mundo ao nosso redor. Confesso que muitas vezes passei por dificuldades insuperáveis, aliás, aparentemente insuperáveis, porém, com algum esforço pude observar que apesar desses acontecimentos "catrastóficos" o mundo ainda estava lá, inteiro e pronto para ser transformado por mim. O amor, a compaixão e o altruísmo eram minha chave para a felicidade. Mas como poderia ajudar e abeçoar outras vidas se nem mesmo eu acreditava ser digna de ajuda?  
Vou explicar - pra mim mesma- algumas coisinhas: Nasci aqui, nessa cidadezinha chamada Araras. Cresci e tentei fazer o melhor com a minha vida. No colégio sofria, mas era autêntica. Era gordinha, mas falava o que pensava. Na infância tudo parece possível, a vida é uma incógnita e os dias que passam são REALMENTE vividos.
Cresci um poquinho. Encontrei o teatro, assim como um pedacinho de mim. Quando subi naquele palco italiano senti meu corpo todo vibrar numa misura de medo e alegria. Minhas pernas tremeram e queria dançar. O arrepio veio em seguida subindo por cada vértebra da minha coluna. Foi Fantástico. Ali eu fazia a diferença. Ali eu era vista e podia transmitir ao mundo a vida. Puf. Fim da ilusão.
Dar mensagens para um mundo ingrato? Que cobra somente a seriedade? Que pressiona pessoas a ganharem notas de papel em vez de ganhar cartas de carinho? Vi, pintei, rabisquei, risquei e rasguei aquele mundo moribundo que me deixava tão confusa. A vida virou de cabeça pra baixo. Nada me fazia especial. Eu não poderia ser especial. Por que seria? Então, passei anos tentando ser a melhor em tudo, quando na verdade nadica de nada me fez "especial" não passava de uma simples "Ela é esforçada". De fake boazuda passei a miss empty. Empty. Vazia. O espelho não me dizia respeito.

Como em um pesadelo mergulhei em um rio escuro enroscando-me na correnteza. Simples assim. Quando se está coberto pela água o simples ultrapassa a noção de complicado. Chega a ser desesperador, para não dizer impossível de se salvar.
Foi ai que meus olhos foram se abrindo aos poquinhos. Um anjo me resgatou da correnteza e me trouxe para a margem onde, finalmente, consegui respirar. Respirei junto a primeira brisa que atingiu meu rosto. MMM... FFFF. Deus estava ali, como sempre. Ali mesmo, na brisa, na correnteza, na grama, no sorriso, no gesto, na alegria, no conforto, no amor, na criança, nos olhos marejados, nas caretas, nas gargalhadas, no assobio, no canto dos pássaros, na batida do meu coração. MMM...FFFF. Em mim. Deus vivia em mim como eu.
​Algo, de repente, me fez observar cada atitude e encontrar algo bom. Não. Não era o meu forte. Definitivamente. E ainda é meu maior desafio encontrar uma lágrima de alegria na chuva. Mas Deus age misteriosamente. Cada obstáculo estava lá por um motivo que não esperava.
Incrível como eu costumava a entitular esse enigma milimetricamente planejado como Serendipidade (Serendipity), algo parecido com o destino. Mesmo tendo percebido isso nos meus anos dourados da adolescência, após encontrá-lo, descobri que Deus é o autor dessa tal "serendipidade". Ele vem e sussurra todos os dias "Psiu! Eu estou em todas as coisas, controlo tudo o que você não pode... Por favor, confie em mim." 
Confesso. Houve dias em que não acreditei nele e perguntei "Por que comigo?". Houve dias em que me odiei tanto que não me via como merecedora de viver. Hoje, envergonho-me de ter duvidado daquele que escreveu cuidadosamente minha história, daquele que me viu chorar e carinhosamente me deu forças para rir de novo, daquele que amou enquanto eu me odiei.
E é por esse caminho turbulento de encontros e desencontros que agradeço ao meu autor por ter sido escolhida como uma de suas personagens para viver essa misteriosa história de amor. Misteriosa, pois as dicas que resolvem o enigma da existência estão escondidas. Cada emoção, sensação e ação humana guarda uma pista para felicidade. Mas, psiu! O enigma só será revelado quando os olhos da alma se abrirem para o real sentido da vida: O amor. Eu acredito nisso e sempre vou.

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário