In 2014 textos antigo

Aqui e lá





Tenho 16 anos, você lá e eu aqui. Do outro lado do atlântico espero que você perceba que cresci e que me importo. 
Ligo a câmera do meu computador e um programa com nome engraçado faz minhas tardes felizes e as suas menos entediantes. Não sei se você pensou em mim quando estava lá, não sei se considerou se interessar por mim. 
Já não importa, o tempo foi passando e você mudou. Mudou mas continuou o mesmo. O mesmo coração que o meu primeiramente bateu um pouco mais forte.
Deu medo, deu esperança, deu desespero. 
Na minha casa você passava um dia, dois, três e não me olhava. Eu te olhava. Afinal, você era o melhor amigo do meu irmão. Mas eu te olhava e percebia longe, embora perto.
Decidi que era a minha vez de crescer, te pegar pela mão e dizer: "ei, estou aqui" 
E fiz. Eu te beijei levemente, mas você não me beijou, afastou. 
Afastou de mim a possibilidade de ser amada, de ser admirada, de ser reconhecida em minha peculiar aparência e personalidade. 
Seu celular tocou e entendi tudo, você não era meu, nunca foi.
Tardes felizes eram ilusões, conversas profundas eram vazias, eu apenas era insuficiente. 
Do outro lado do atlântico algo se perdeu e naquele instante, do outro lado da linha, você encontrou aquela que seria a mulher da sua vida.
Não fui eu. Nunca seria eu. Porque eu era feliz e você matava o tédio. Eu tinha 16 anos e você lá, em terras lusitanas.

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário